Visto de estudos no Japão: tirando as 10 principais dúvidas 

Aula de japonês na escola Intercultural Institute of Japan, em Tóquio (Foto: divulgação Go Go Nihon)

Decidiu estudar no Japão mas não sabe nem por onde começar os preparativos? Sei muito bem como você se sente! Quando tomei a decisão de fazer um curso de japonês por um ano em Tóquio, surgiram muitas coisas para resolver. Mas sabia que uma das prioridades seria: conseguir o visto de estudos. 

Em parceria com a Go Go Nihon, montei essa lista para esclarecer as 10 principais dúvidas sobre visto de estudos no Japão.

A Akamonkai, em Tóquio, é conhecida como uma das escolas de japonês mais difíceis! (Foto: divulgação Go Go Nihon)

1. Para qual tipo de curso devo tirar o visto de estudos?

Se optar por um curso de até 3 meses, você pode vir para o Japão tendo o visto de curta duração, o mesmo emitido para turistas, que é válido por até 90 dias. Se o curso tiver uma duração maior – a partir de 6 meses – é necessário obter o visto de estudos. Nessa categoria, entram diversos tipos de estudos incluindo: ensino médio, faculdade, mestrado, doutorado, cursos profissionalizantes e cursos de idioma. Um fator importante é que o curso deve ter a homologação do governo japonês.

2. Quem pode tirar o visto de estudos no Japão?

Engana-se quem pensa que só descendentes de japoneses podem tirar o visto de estudos! A resposta é bem democrática: a princípio, qualquer pessoa pode dar entrada no visto, independente de idade, profissão, se é nikkei (descendente de japoneses) ou não. Mas é importante mencionar que algumas escolas e faculdades possuem requisitos próprios a serem atendidos – então é bom se informar com antecedência para conhecer quais são os critérios de cada instituição de interesse.

3. O visto de estudos é válido por quanto tempo? 

Depende do tipo de curso. Para um curso de idiomas, por exemplo, o limite é de 2 anos, mas um estudante pode passar anos fazendo faculdade, mestrado e doutorado com esse visto. É o mesmo que bolsistas do MEXT recebem. 

O Moroka sensei foi meu professor na KAI, escola excelente que fica em Shin-Okubo, Tóquio (Foto: divulgação Go Go Nihon)

4. Qual o prazo para a emissão do visto?

Esse é um ponto importantíssimo! Todo o processo, que será detalhado a seguir, leva de 5 a 6 meses. Portanto, se você está se planejando para estudar a partir de julho, o ideal é começar o contato com a instituição de ensino já no início do ano ou até mesmo no final do ano anterior. Será a escola ou faculdade que dará entrada no pedido de visto em seu nome, junto à Imigração japonesa. Começando o processo cedo, você tem mais chances de assegurar uma vaga na instituição desejada. 

5. Quais são os documentos necessários para obter o visto de estudos?

Antes de dar entrada no seu pedido de visto junto ao governo japonês, a escola vai avaliar se vai aceitar a sua matrícula. Por isso, para fazer essa análise, os documentos podem variar de acordo com a instituição. Os mais comuns são:
– Passaporte
– Foto 3×4
– Diploma mais recente (ensino médio ou superior)
– Extrato bancário que comprove que a pessoa (ou seu financiador) tem recursos para se sustentar no Japão durante o período de estudos. Em geral, exigem pelo menos o equivalente a 1,000,000 ienes (aproximadamente USD 10.000,00) para cada 6 meses de estudos no Japão. É bom ter em mente que o valor das passagens aéreas seria um montante a parte.

Além disso, algumas instituições tem requisitos adicionais, como exames médicos ou boletins escolares. As faculdades japonesas, por exemplo, exigem que o aluno faça o EJU (uma espécie de ENEM japonês para estrangeiros) e tenha uma boa nota.

Em 2014, participei do speech contest que é promovido pela escola KAI todos os anos (Foto: divulgação KAI Japanese Language School)

6. Como é o passo-a-passo até ter o visto em mãos?

– Primeiro, é preciso fazer a inscrição na escola/faculdade e enviar os documentos necessários por volta de 6 meses antes do início das aulas.

 – A escola irá examinar todos os documentos e, caso aprove a matrícula, fará o pedido de visto de estudante junto à Imigração japonesa.

 – A Imigração japonesa irá aprovar o visto por volta de um mês antes do início das aulas e enviará pelo correio para o aluno um documento que será essencial na obtenção do visto: o Certificado de Elegibilidade. 

 – O aluno deverá levar o Certificado de Elegibilidade juntamente com o passaporte até a embaixada japonesa mais próxima para obter o Visto de Estudante. Essa conversão dura de 3 a 5 dias úteis.

7. Posso trabalhar tendo o visto de estudante?

Sim, você pode trabalhar meio período, por até 28 horas semanais, o que já ajuda a cobrir alguns custos básicos – mas não todos. Por isso é importante ter uma poupança prevista para poder arcar com todos os gastos, mesmo que você consiga arrumar um “baito” (que vem de arubaito = trabalho temporário de meio período) Pode ser qualquer tipo de trabalho, contanto que não esteja ligado à bares, jogos de azar ou outros tipos de negócios ligados ao universo de “entretenimento adulto”.

8. É possível renovar o visto estando no Japão? 

Sim. Os vistos devem ser obrigatoriamente renovados anualmente pelas escolas/faculdades, mas elas podem escolher não renovar caso o aluno tenha uma baixa frequência nas aulas. Algumas escolas são mais exigentes e, caso o aluno repita 2 vezes, ele é expulso e perde o visto – que é o caso da KAI, onde estudei japonês.

Aula na Intercultural Institute of Japan. Para manter o visto, muitas escolas exigem que o estudante tenha uma frequência mínima!

9. Quais são as responsabilidades e os benefícios de ter um visto de estudos no Japão?

Ao portar um visto de estudante, você será um “residente de longo prazo” no Japão. Isso significa que, assim como demais residentes, você deverá assumir certas responsabilidades como contribuir com o seguro de saúde público e ir até a sub-prefeitura da região onde mora para registrar seu endereço no seu cartão de residente. Outro ponto importante é que você não poderá desfrutar de promoções e passes exclusivos para turistas, como o JR Pass, por exemplo. 

Por outro lado, comparado ao status de turista, você terá muito mais opções para fazer contratos de aluguel de apartamento/share house, poderá ter plano de celular, abrir conta em banco e, claro, contará com o sistema público de saúde – que funciona muito bem, por sinal.

10. É possível converter o visto de estudos em visto de trabalho?

Sim. Se você atender todos os pré-requisitos necessários como tempo mínimo de formação, experiência comprovada na área, entre outros, é possível converter o seu visto de estudos em visto de trabalho.

Chegou até o final dessa leitura e não vê a hora de colocar em prática o seu plano de estudar no Japão? Se estiver procurando um curso de japonês, recomendo que dê uma conferida no site da Go Go Nihon. Eles oferecem suporte completo desde a escolha da escola, passando pelo trâmite do visto e acomodação no Japão. E o melhor de tudo: o serviço é oferecido em português e sem custo adicional para o estudante! 

Espero que essas informações tenham te ajudado!

Boa sorte e ganbatte! 

Compartilhe:

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *