Peach no Brasil

皆さん、お久しぶりですね!

Gente, voltei!

Faz um pouco mais de uma semana que cheguei em São Paulo – e mais de um mês que este blog não é atualizado. Muita coisa aconteceu nas minhas últimas semanas lá no Japão: tive muitos encontros de despedida, um amigo querido foi passar um tempo lá, conheci amigos de amigos brasileiros que foram visitar Tóquio, gravei o último vídeo pro Sem Fio, tive provas finais na escola… E a Copa começou a rolar no Brasil.

Por causa do fuso horário ficou bem difícil de acompanhar (e não, jamais acordaria às 5 da manhã pra ver um jogo), mas estava animadíssima para ver o jogo de estreia do Japão contra a Costa do Marfim. Mesmo desde antes de passar essa temporada no Japão, uma parte de mim sempre torceu por eles, às vezes até mais que pela seleção brasileira.

Nada mais legal, então, do que assistir ao jogo com meus amigos japoneses Mizuaki e Kinya, que, aliás, adoram o Brasil. Só teria sido mais legal ainda se o Drogba não tivesse entrado em campo e o Japão não tivesse perdido :-/.

Nesse dia da partida, no meu último domingo passado no Japão, uma coisa engraçada aconteceu. Enquanto eu esperava por eles em frente à estação de Kichijoji, uma japonesa me abordou perguntando por direções e eu fui capaz de ajudá-la. Eu tinha virado uma local. 🙂

Mas levou um tempo até eu considerar o Japão meu lar. Passado o deslumbre dos meses iniciais, quando constatei que os serviços eram impecáveis, que o transporte público era incrível, que os produtos eram super bem pensados e que os japoneses eram muito solícitos e gentis, entrei numa fase de questionamento e hesitação. “Ei, pera lá, o Japão não é tudo isso”, comecei a pensar. Foi quando percebi certos aspectos da sociedade e da mentalidade japonesa que me incomodaram um pouco, mas que, ainda assim, não me fizeram deixar de aproveitar a minha estadia lá.

Só depois que eu voltei de uma viagem de mais de duas semanas pela Tailândia, na época do ano novo, é que me re-apaixonei pelo Japão, principalmente depois desse episódio – tão banal ao olhar dos japoneses.

Muitos comentaristas criticaram o desempenho da seleção japonesa na Copa, falando que eles não têm a malícia que o futebol requer. Sinceramente, eu espero que eles nunca tenham essa tão cultuada malícia. Porque o dia em que eles começarem a se jogar no chão para cravar um pênalti ou que eles usarem o braço pra matar a bola no peito vai ser o fim de tudo o que me fez amar o país.

Volto pro Brasil, com a certeza de que tenho o Japão como meu segundo lar. <3

ps: Não é o fim do blog!

ps2: Tem mais um vídeo do Sem Fio, logo mais!

Compartilhe:

Comentários

comments

Filed under Devaneios

Produtora de conteúdo interessada em cultura e artes, juntei meu fascínio pelo país de origem dos meus avós com a minha paixão por compartilhar histórias para criar o Peach no Japão. Aqui vocês encontrarão devaneios sobre cultura japonesa, histórias de viagem e dicas que não estão nos guias ;)

8 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *